quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Ande na direção de Deus

"e imolarás o carneiro, e tomarás do seu sangue, e o porás sobre a ponta da orelha direita de Arão e sobre a ponta da orelha direita de seus filhos, como também sobre o dedo polegar da sua mão direita e sobre o dedo polegar do seu pé direito; e espargirás o sangue sobre o altar ao redor. " Êxodo 29:20

Trouxe o versículo todo no encerramento desta série de mensagens. Não dei título especial para elas, mas estou tentando mostrar a importância da consagração e da unção na vida do crente.

Na primeira mensagem falei sobre "ouvidos ungidos", na segunda o assunto foi "mãos ungidas" e encerrando, poderia pegar outros temas no versículo, mas paro por aqui, por enquanto falando sobre "direção na vontade de Deus".

Andar de acordo com a vontade de Deus requer muita obediência e submissão. A "dependência total" exige do ser humano renúncia de coisas que para ele é insignificante, mas que para Deus é importante.

Nem sempre o que é ótimo ao meu ponto de vista é bom aos olhos do Senhor. Muitas vezes, Deus nos coloca em caminhos, que de imediato questionamos, ficamos confuso, e até queremos desistir.

Andar como Jesus andou. Leia os evangelhos e siga os exemplos do mestre. Se você estudar as particularidades da vida de Jesus, vai aprender com ele, que mesmo sendo Deus, ele não fazia a sua vontade, e sim a do pai que o enviou.

Nossos pés nos levam para onde queremos. Podemos entrar e sair onde tivermos vontade. Temos o livre arbítrio e isto nos dá "diretos". Mas, se temos uma vida ungida na presença de Deus, escolhemos os lugares que vamos. Não entramos em qualquer beco.

Tem lugar que até é certo frequentarmos, mas não convém. Quando na ativa da Polícia Militar, meus instrutores sempre falavam, de uma punição para o soldado que estivesse em "lugar imcompatível". Exemplo: Militar fardado em um balcão de um bar. Quer mais, nos anos 80, evangelizamo o distrito de Sabaúna, região de Mogi das Cruzes, zona leste de SP, eu garoto estava acompanhado do querido irmão Osvaldo (nós os chamamos carinhosamente de "Osvaldo Boca Rica" devido aos dentes de ouro, estilo cigano) fomos entregar folhetos, num domingo ensolarado. Paramos proximo de um bar, eu com muita sede, pedi para o irmão Osvaldo para tomarmos um refrigerante, lembro-me estávamos de paletó e gravata, Bíblia na mão (hoje você vê isto muito raramente), ele me exortou e disse: Não vamos entrar lá não, não fica bem para um crente ficar debruçado no balcão de um bar. Simples exemplo, que me serviu de lição.

Vou encerrar contando um testemunho que um dos membros do coral em que eu cantava, contou. Um dia ele resolveu se desviar dos preceitos da palavra do Senhor. Ele sentiu quando seus pés o levou até o balcão de um bar, ele nervoso pediu um "rabo de galo" (nem sei se existe ainda). O moço do bar se dirigiu a ele e disse: rapaz, outro dia entrou aqui um moço parecendo com o voçê, pediu uma pinga, eu olhei para ele e perguntei se ele era crente, ele nem me respondeu, eu me virei para buscar sua bebida, e ele sumiu até hoje.

Este irmão não sabia o que fazer, o rapaz trouxe a bebida, ele pagou e não bebeu e saiu pedindo perdão a Deus.

Par onde teus pés estão te levando. Tenha prazer de usá-lo para vir á casa do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário